#MaioAmarelo: pedestres são 28% das vítimas fatais
Um em cada três óbitos envolveu pessoas com mais de 60 anos. Maior parte das ocorrências foi registrada à noite

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, criado pelo Governo do Estado com o objetivo de reduzir pela metade o número de vítimas fatais em ruas e estradas até 2020, destaca, em levantamento, que os pedestres representam 28% das vítimas em acidentes fatais em ruas, avenidas e rodovias.

Este mês é dedicado à promoção de atividades do Maio Amarelo, que tem o intuito de promover a conscientização de condutores e pedestres, bem como para ampliar a segurança viária em São Paulo.

De acordo com o Infosiga SP, um banco de dados que reúne informações de acidentes de diversas fontes, como Polícia Civil, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal, foram registrados 1.593 óbitos em 2017 – uma em cada três vítimas tem mais de 60 anos. A maior parte dos acidentes com mortes desse grupo ocorre no período noturno (56%) e envolve homens (74%).

Na avaliação de Horácio Augusto Figueira, consultor em segurança de trânsito e palestrante, a cultura nacional é voltada à circulação de veículos. “No Brasil, a prioridade é para a circulação dos automóveis e ao transporte individual. A maior parte dos cruzamentos não possui foco na travessia dos pedestres”, explica.

O especialista destaca a importância de ações educativas e de fiscalização constantes como os principais pontos para modificar os hábitos dos brasileiros. De acordo com o engenheiro, países como Canadá, Austrália e França demonstram avanços no tratamento aos pedestres. “Deveria ser criada uma lei federal que obrigasse cada gestor municipal a instalar conjuntos semafóricos completos e com tempos adequados para a travessia, principalmente para os idosos”, ressalta Horácio Augusto Figueira.

A necessidade de adequar o espaço urbano aos pedestres é uma das frentes de trabalho do Movimento Paulista. Convênios com municípios incluem projetos como implantação de faixas de pedestres, lombofaixas e melhorias na sinalização, além de campanhas educativas. Ao todo, são mais de 7,5 mil projetos de intervenções em mais de 100 municípios criados a partir das estatísticas do Infosiga SP.

Dicas de segurança

Os fins de semana respondem por 41% das ocorrências. O total de acidentes dentro das cidades chegou a 55%. Por isso, o Movimento Paulista faz recomendações para reduzir os índices de fatalidade que envolvem os pedestres no território estadual.

Uma das principais dicas é usar sempre as faixas de pedestre, além de respeitar a sinalização, ficar atento ao tempo semafórico, sempre se manter visível no trânsito e evitar sair de trás de carros, caçambas e quaisquer outros obstáculos à visão dos motoristas e motociclistas.

Em rodovias, o pedestre sempre deve usar a passarela. Outra recomendação é evitar trafegar no acostamento de rodovias. Caso haja problemas mecânicos na estrada e estacione no acostamento, o cidadão deve sempre ficar atrás do veículo. Vale lembrar que muitos atropelamentos em rodovias ocorrem nesse tipo de situação.


Governo do Estado de São Paulo